ENTRETENIMENTO

Diamante, ‘perovskita’ pode ser o 4º mineral mais abundante

Escondido no interior de um diamante forjado nas profundezas da Terra, cientistas encontraram a primeira evidência de um mineral jamais visto antes. É chamado de perovskita de silicato de cálcio e, por não ter estrutura rígida como um diamante, os cientistas nunca conseguiram mantê-lo estável na superfície da Terra.

“Na verdade, não fazíamos ideia de que acharíamos isso”, disse Graham Pearson, professor da Universidade de Alberta e co-autor de um novo estudo publicado na Nature que detalha a descoberta.

Quando o mineral ascende à superfície, há menos pressão sobre ele e suas ligações de carbono são modificadas. Os cientistas estimam que o mineral seja o quarto mais abundante da Terra, mas nunca foram capazes de observar a substância na superfície.

Outras versões da perovskita de silicato de cálcio foram encontradas no que Pearson chamou de “forma de pressão média” em outros diamantes, mas essa é a primeira vez que ele é visto, já que ele é prolífico centenas de quilômetros abaixo da superfície da Terra.

Ao contrário do mineral recém-encontrado, os diamantes têm ligações de carbono que são mais difíceis de se separar e se reorganizar. Isso torna o material um canal perfeito para estudar materiais encontrados nas profundezas da Terra.

O diamante contendo perovskita de silicato de cálcio foi encontrado a menos de 2 km abaixo da superfície, mas Pearson diz que teria se originado a uma profundidade de mais de 600 km. A essa profundidade, o material estaria exposto a pressões equivalentes a 240 mil atmosferas terrestres. Os tipos de diamantes vistos em joias normalmente não são encontrados a mais de 160 km abaixo da superfície.

Ele diz que os cientistas podem usar a descoberta para entender como se dá o ciclo do carbono, que vai da superfície da Terra até o núcleo, e depois retorna à superfície com a ajuda de atividades geológicas, como vulcões.

PARAZÃO TEM DE TUDO/Informações originais de National Geographic)



POPULARES

Topo