ENTRETENIMENTO

Assopem divulga maiores salários do Pará em fevereiro; veja curiosidades

Três ocupações da área da mineração estão no ranking das profissões paraenses com carteira assinada mais bem pagas. As profissões de engenheiro de minas (média de R$ 8.587 para os cinco contratados no mês), engenheiro de minas com especificação em carteira para área de Projetos (R$ 7.694 para um novo empregado) e geólogo (média de R$ 6.988 para três admissões) estão entre as 25 carreiras celetistas com maiores salários. Os dados inéditos foram levantados com exclusividade pela Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem) nesta segunda-feira (26) por meio do detalhamento ocupacional do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho (MTb).

Apesar da remuneração considerável, as funções da área da indústria mineral apresentam bastante rotatividade, e a série histórica do Caged mostra que nos últimos quatro anos os salários mais elevados do setor — frequentemente de engenheiros de minas e engenheiros mecânicos lotados na mineração — vêm sendo sacrificados. O mesmo acontece na construção civil. Há três anos, por exemplo, contratava-se engenheiro de minas da área de Projetos a peso de ouro: mais de R$ 15 mil, em média, em sucessivas divulgações do Caged. A única contratação de fevereiro deste ano aponta o salário pela metade.

FUTEBOL TAMBÉM NO TOPO

Profissionais do ramo do futebol no Pará foram contratados com contracheque mais gordo que a maioria dos engenheiros e médicos em regime celetista. Os treinadores, por exemplo, foram o segundo lance mais valioso na CLT mês passado, com média salarial de R$ 16.900, só atrás de um bem-aventurado gerente de projetos da área de Tecnologia da Informação, admitido por R$ 26.207 — maior salário desde a contratação de um engenheiro de minas em Altamira, ano passado, inclusive divulgado pela Assopem. O detalhe é que os treinadores estão em saldo positivo, enquanto os gerentes de TI amargam duas demissões para cada contratação nova.

Os jogadores de futebol são a oitava ocupação mais bem paga. Em fevereiro, a média salarial dos quatro que assinaram carteira foi de R$ 8.250, bem mais que a dos sete médicos clínicos contratados no mês, de R$ 6.767.

Vale ressaltar que, dentro de uma mesma ocupação com a partir de duas admissões no mês, os salários podem variar bastante. No caso dos engenheiros de minas, por exemplo, houve quem fosse contratado por pouco mais de R$ 7 mil, assim como um por muito mais de R$ 10 mil em fevereiro.

Confira o ranking elaborado pela Assopem!



POPULARES

Topo