BELÉM

POLÍCIA CIVIL DO PARÁ PRENDE TRÊS HOMENS EM FLAGRANTE POR PORNOGRAFIA INFANTIL EM BELÉM DURANTE OPERAÇÃO LUZ NA INFÂNCIA 3

A Polícia Civil do Pará participou, nesta quinta-feira (22/11), da operação Luz na Infância 3 de cunho nacional com objetivo de combater crimes relacionados ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes praticados no meio cibernético. No Pará, cinco mandados judiciais de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos pela corporação policial.

Quatro mandados foram cumpridos em Belém e um em Barcarena, no nordeste do Estado. Três pessoas foram presas em flagrante por armazenar e compartilhar via Internet arquivos com conteúdo pornográfico infantil. Ao final da manhã, foi realizada uma entrevista coletiva, na Delegacia-Geral, em Belém, para apresentar o balanço da operação.

A coletiva foi presidida pelo delegado-geral adjunto, Rogério Morais; e contou com as presenças das delegadas Karina Campelo, da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) e Ariane Melo, da Diretoria de Atendimentos a Grupos Vulneráveis (DAV) da Polícia Civil, e dos delegados Marco Antonio Oliveira, diretor de Polícia Especializada, e Roberto Gomes, diretor da Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA) de Belém.

APREENSÕES

APREENSÕES

Segundo o delegado-geral adjunto, a operação foi desencadeada sob orientação do Ministério da Segurança Pública, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), para dar continuidade às ações de combate ao crime no Brasil iniciadas nas outras duas operações Luz Na Infância ocorridas neste ano. A operação ocorreu de forma simultânea em 18 Estados brasileiros e no Distrito Federal, e também em Buenos Aires na Argentina. Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, equipamentos e dispositivos de informática usados para armazenar dados, como computadores, celulares, mídias, entre outros, são analisados pelas equipes de policiais civis especializados em combate a crimes tecnológicos. No Pará, a operação foi deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT); Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV) e Núcleo de Inteligência Policial (NIP).

POLICIAL CIVIL ANALISA DADOS ARMAZENADOS

POLICIAL CIVIL ANALISA DADOS ARMAZENADOS

Nos equipamentos ou dispositivos apreendidos em que foram encontrados arquivos com pornografia infantil, o dono do material foi preso em flagrante para responder pelo crime. Durante a operação, três pessoas foram autuadas em flagrante por pornografia infantil em Belém. Uma delas é um universitário que mora no bairro da Sacramenta. O outro preso trabalha como técnico de informática e corretor de imóveis. Ele foi preso no condomínio residencial Cidade Jardim II na Avenida Augusto Montenegro, bairro do Parque Verde. O terceiro preso é desempregado e foi preso em uma casa na Avenida José Bonifácio, em São Brás. Ele já esteve preso acusado de fraude com cartão de crédito. Todos os presos têm idades entre 20 e 30 anos.

Todos os materiais apreendidos e presos foram levados para a Delegacia-Geral, em Belém. O delegado geral adjunto explicou que a Senasp repassou aos Estados informações sobre a atuação de pessoas envolvidas em pornografia infantil nos Estados para deflagrar a operação. Ele alertou que é crime não apenas o arquivamento de fotos e vídeos com pornografia infantil, mas também o compartilhamento das imagens por meio virtual.

Os presos, após final do procedimento de flagrante, foram conduzidos ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, para passarem pelos exames periciais, e posteriormente foram recolhidos para passar por audiência de custódia na Justiça.

OUTRAS OPERAÇÕES Em outubro e novembro do ano passado, a Polícia Civil prendeu nove pessoas, em Belém, acusados de exploração sexual de crianças e de compartilhamento de pornografia infantil via Internet. As prisões foram realizadas durante a primeira operação Luz na Infância. Em outubro, seis pessoas foram presas. Três delas foram presas por mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça. Em novembro, outras três foram presas em Belém e em Ananindeua, região metropolitana de Belém, em continuidade da operação realizada no mês anterior. As prisões foram efetuadas por policiais civis da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT). Os presos foram conduzidos para a sede da DPRCT, localizada no prédio da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), em Belém. Em todo Brasil, foram cumpridos 157 mandados de prisão e presos 112 abusadores sexuais em 2017.

Em maio deste ano, foi deflagrada a operação a segunda operação Luz na Infância em todo Brasil. No Pará, a Polícia Civil prendeu em flagrante cinco pessoas pelo crime de pornografia infantil. As prisões foram realizadas em Belém. Ao todo, 17 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Do total, 15 em Belém e Ananindeua, um em Paragominas e outro em Castanhal, no nordeste paraense. Os presos foram levados para a sede da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) da Polícia Civil, no bairro do Telégrafo, na capital paraense. No país, houve cumprimento de 579 mandados de busca com as prisões de 251 pessoas em maio.

Fonte: Policia civil


Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


POPULARES

Topo