SAÚDE

SÓ EM 2018 E JANEIRO DESTE ANO JÁ SÃO MAIS 283 CASOS DE SARAMPO NO PARÁ

Com cerca de 40% dos casos notificados de sarampo no Estado do Pará, o município de Santarém, no oeste paraense, recebeu uma equipe de técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que foram implantar o Plano de Eliminação do Vírus do Sarampo no Brasil.

A situação preocupa as autoridades de saúde do País, pois de fevereiro de 2018 até agora, o Pará notificou 285 casos suspeitos de sarampo, dos quais 68 foram confirmados, todos com clínica compatível; 183 casos foram descartados; e 34 permanecem em investigação. Entre os casos confirmados dois evoluíram para óbito; eram refugiados venezuelanos que estavam em Belém, de acordo com informações da Sespa.

O Pará não registrava casos de sarampo desde os únicos três confirmados em 2010, mas neste período foram notificados 21 casos na capital paraense. Castanhal e Prainha registraram 16 casos, cada, Juruti 15 casos e Monte Alegre 11 casos, foram os municípios com maior número notificados da doença.

De acord com a Sespa, o Plano de Eliminação do Vírus do Sarampo, foi firmado também com os estados do Amazonas, Roraima, além de Santarém, com a finalidade de fortalecer os sistemas de Vigilância e Atenção à Saúde para interromper a circulação do vírus do sarampo no país e garantir que o Brasil permaneça com o Certificado de Eliminação da Circulação do Vírus do Sarampo. O título foi recebido em 2016 da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Desde fevereiro de 2018, o Brasil vem registrando casos de sarampo nos estados do Amazonas (9.803), Roraima (355), Rio Grande do Sul (46), Rio de Janeiro (19), Sergipe (04), Pernambuco (04), São Paulo (03), Bahia (03), Rondônia (02) e Distrito Federal (01).

A Sespa assegura que o Pará bateu a meta de vacinar, pelo menos, 95% das crianças de um a menores de cinco anos contra poliomielite e sarampo, durante a Campanha Nacional de Vacinação 2018. A cobertura vacinal de 95,26% para a pólio e de 95,66% para sarampo.

Mas, as crianças podem continuar se vacinando contra o sarampo, já que as doses estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde. A primeira dose da vacina tríplice viral deve ser aplicada aos 12 meses de idade e a segunda dose (com a vacina tetraviral, que também protege contra a varicela) aos 15 meses. Adultos, com até 49 anos de idade, sem histórico da doença e/ou sem comprovante vacinal também podem ser vacinados.

Fonte: Sespa


Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


POPULARES

Topo